Como a Google vai tornar o ’touch’ obsoleto. EUA dá ‘luz verde’ à tecnologia dos gestos

O Projeto Soli captura o movimento num espaço tridimensional usando um radar para permitir o controlo sem toque de funções ou recursos que podem beneficiar usuários com problemas de mobilidade ou fala.

A Comissão Federal das Comunicações (FCC), nos EUA, acaba de dar ‘luz verde’ à Google para o fabrico de radares em interfaces de controlo de telemóveis, computadores, carros e os mais variados gadgets. Estes radares poderão ser controlados apenas com pequenos gestos dos dedos e vêm no sentido de melhorar a experiência do utilizador no mundo digital.

Chama-se Project Soli e com isto a Google pretende abrir caminho a uma nova forma de interação com múltiplos equipamentos que exige apenas pequenos gestos com os dedos. Desta maneira, o utilizador poderá dispensar ratos, teclados e joysticks. Os radares deverão ter pequenas dimensões e poderão ser acoplados a diferentes dispositivos para garantirem a monitorização de movimentos das mãos em três dimensões.

A agência ”Reuters” cita fontes internas da FCC que explica que a decisão “servirá ao interesse público, fornecendo recursos inovadores de controlo de dispositivos usando a tecnologia de gestos sem toque”. A FCC explica também que o Soli captura o movimento num espaço tridimensional usando um radar para permitir o controlo sem toque de funções ou recursos que podem beneficiar usuários com problemas de mobilidade ou fala. Estes radares terão frequências entre os 57 e os 64 GHz, uma potência acima daquela que estava referenciada para estes casos.

O Project Soli começou por registar a renitência da gigante Facebook que, inicialmente, alegou que o uso de radares com uma potência superior poderia interferir no funcionamento de diferentes equipamentos. Aparentemente, a Google terá conseguido convencer o Facebook no que toca à relação entre riscos e benefícios, e por isso a FCC acabou mesmo por atribuir a licença para o arranque do projeto.