Como economizar estando em casa?

A incerteza gerada pela crise sanitária e o impacto que está a ter para muitos cidadãos torna a segurança financeira um objetivo difícil de alcançar.

A incerteza gerada pela crise sanitária e o impacto que está a ter para muitos cidadãos torna a segurança financeira um objectivo difícil de alcançar.

Por onde devo começar?
A orçamentação é a forma mais eficaz de controlar a nossa economia e de aproveitar ao máximo o nosso dinheiro. A sua preparação e monitorização é essencial neste momento.
Embora possa exigir algum esforço no início, pode tornar-se um hábito muito benéfico que nos permitirá identificar onde estamos a gastar o nosso dinheiro.

O orçamento serve para:
-Saber onde se gasta o dinheiro.
-Priorizar as despesas.
-Reduzir ou eliminar as dívidas.
-Se possível, colocar algum dinheiro todos os meses na conta poupança, tendo em conta os objetivos a longo prazo.
-Acumular, na medida do possível, um fundo para emergências.
-Fazer previsões de futuro.
-Manter o controle e o rastreamento para não nos desviarmos.

Como reduzir as despesas?
Embora não seja agradável cortar despesas, é conveniente conseguir uma situação financeira o mais saudável possível. A chave está em priorizar.

Para começar, convém conhecer os diferentes tipos de despesas:

Despesas obrigatórias fixas: O seu montante não varia muito todos os meses. São, por exemplo, a hipoteca ou o aluguer da habitação ou outros empréstimos bancários.
Despesas variáveis necessárias: Eletricidade, comida, internet, são despesas necessárias para viver, mas onde podemos economizar se fizermos um uso racional. Por exemplo, temos a possibilidade de reduzir a fatura da luz desligando lâmpadas, ajustando o termostato ou utilizando lâmpadas de baixo consumo. Como estas despesas são necessárias, normalmente só é possível economizar fazendo pequenos cortes: comprar marcas mais económicas, comprar roupas, móveis e eletrodomésticos somente se necessário, comparar preços em diferentes estabelecimentos, procurar o melhor plano para o telefone e Internet, etc. Costuma haver mais margem do que se possa pensar.
Se, quando elaborarmos o orçamento, tivermos uma lista de todas estas despesas, poderemos começar a tomar medidas para cada uma delas.
Despesas discricionárias: todas as outras despesas que, em caso de necessidade, podem ser reduzidas ou eliminadas. Por exemplo, compras online que não são necessárias, etc. São despesas que não aumentam a qualidade de vida da família ou das pessoas e reduzem as economias mensalmente.

Verifique regularmente o seu orçamento: avalie as suas despesas e verifique as suas contas bancárias com frequência. Se for necessário, proceda aos ajustamentos necessários para fazer face a imprevistos. Registar as receitas e as despesas permite prever quando será necessário utilizar fundos adicionais provenientes da poupança ou de empréstimos e identificar as despesas que poderiam ser reduzidas ou diferidas para um momento de maior alívio económico.