Início Economia Poupança: Conceitos e como iniciar

Poupança: Conceitos e como iniciar

O conceito de poupança ou aforro está intimamente relacionado com a redução das despesas, em particular dos gastos recorrentes.
O conceito de poupança ou aforro está intimamente relacionado com a redução das despesas, em particular dos gastos recorrentes.

O conceito de poupança ou aforro, está intimamente relacionado com a redução das despesas, em particular dos gastos recorrentes. No contexto de finança pessoal, poupar geralmente refere-se à preservação do capital em aplicações de baixo risco como seja numa conta de depósitos em vez de de fazer um investimento financeiro, onde o risco é maior. Para a economia, poupança é um conceito amplo que se refere a toda a receita que não é destinada ao consumo imediato.

A poupança ou aforro é uma parte da receita ou do património familiar que não é gasto (é poupado) no período em que é recebido e, que é guardado para ser utilizado mais tarde.

As boas práticas de gestão financeira dizem que se deve destinar uma parte dos rendimentos à poupança.

Os meios utilizados para poupar variam de acordo com o objetivo e a experiência do poupador, mas consistem basicamente em manter uma quantia de dinheiro numa conta de depósito bancário, investir ou simplesmente guardar esse dinheiro num local seguro.

As mesmas boas práticas também sugerem que quanto mais cedo se começar a poupar para a reforma, melhor. Isto porque, além de aumentar a probabilidade de acumular mais capital, a poupança também se torna mais eficiente por força da capitalização.

Antes de avançar para a constituição de uma poupança deve de ter em consideração uma regra que diz que devemos manter o mínimo possível de dinheiro à ordem. A partir daqui, pode começar a traçar os seus planos de poupança e investimento de acordo com os seus objetivos para rentabilizar o seu dinheiro.

Contas poupança ou depósitos a prazo?

As contas poupança são uma boa opção para quem está a construir gradualmente a sua poupança e pretende reforçá-la regularmente. Funciona como uma espécie de mealheiro e é um produto financeiro com o qual poderá aforrar durante o período de tempo que mais lhe convier para satisfazer os seus objetivos. Significa que o montante depositado estará sempre a render.

Os depósitos a prazo, por outro lado, pressupõem a definição de um prazo de início e fim, após o qual receberá os juros da mesma. Apesar das taxas de juro nestes casos poderem ser mais baixas do que noutros produtos financeiros, são investimentos seguros que não implicam perdas financeiras.

Plano poupança Reforma

Perante a incerteza económica do contexto que atravessamos, e cujos contornos a médio e longo prazo ainda desconhecemos, ter uma almofada financeira pode fazer a diferença para muitas famílias.
Os planos de poupança reforma (PPR), para além de lhe garantirem uma poupança, tem a vantagem de ser dedutíveis até 20% no IRS e, no momento do seu reembolso, beneficiam de taxas de imposto mais reduzidas que outros produtos financeiros. Defina um valor, em função dos seus objetivos, para reforçar todos os meses o seu PPR com entregas programadas.

Os Seguros e os Fundos PPR são duas formas de planos reforma, com um nível de risco e de rendibilidade distintos.

Os Seguros PPR tem a forma de apólices de seguro e são produtos financeiros mais conservadores, uma vez que oferecem baixo risco, mas também, baixa rentabilidade.

Os Fundos PPR têm caraterísticas semelhantes às dos fundos de investimento mobiliário. Não oferecem garantia nem de capital nem de rentabilidade, no entanto, quem investe neste tipo de PPR pode obter um rendimento significativamente superior de aforro do que o que é oferecido pelos Seguros PPR.

Onde aplicar o dinheiro

Os especialistas financeiros sugerem uma estratégia de poupança que passa por diversificar as suas opções de poupança, entre depósitos a prazo, contas poupança e PPR.

Se aplicar o seu dinheiro a longo prazo, não deve colocar todo o capital no mesmo produto. Diversifique e distribua o capital por várias soluções de poupança e, se estiver disposto a arriscar, considere as soluções de investimento.
Se vier a necessitar de usar o dinheiro aplicado em contas poupança ou em depósitos a prazo, analise atentamente de onde poderá retirar o capital de que precisa com a menor penalização possível.

É importante entender que antes de conseguir poupar, tem de eliminar todas as dívidas que tem para pagar. É fundamental eliminar todos os juros que possa estar a ter de suportar e que não lhe permitem poupar. Inicie este processo liquidando as dívidas, quer seja de forma imediata ou através de planos de amortização.

Simulador de poupança ou aforro.

O simulador da poupança é uma ferramenta de apoio à realização de diferentes cenários para a evolução da poupança.
Experimente aqui.