Início Economia PPR: Vantagens e Desvantagens

PPR: Vantagens e Desvantagens

Um Plano Poupança Reforma (PPR) é um produto financeiro que visa rentabilizar o seu dinheiro a longo prazo e com condições mais vantajosas.
Um Plano Poupança Reforma (PPR) é um produto financeiro que visa rentabilizar o seu dinheiro a longo prazo e com condições mais vantajosas.

Sabe se está na altura de subscrever um plano poupança reforma (PPR)? Se está na casa dos 30 anos, então deve começar a pensar nisso. Pode parecer muito cedo pensar na reforma quando ainda falta tanto tempo para se aposentar, mas quanto mais cedo começar a poupar, mais vai conseguir amealhar. 20€ ou 30€ aplicados todos os meses num PPR podem fazer toda a diferença quando deixar a vida ativa.

Um Plano Poupança Reforma (PPR) é um produto financeiro que visa rentabilizar o seu dinheiro a longo prazo e com condições mais vantajosas do que outros produtos de poupança atualmente disponíveis no mercado. Investir num PPR é investir num complemento de reforma, com a vantagem de ter enormes benefícios fiscais.

Como escolher um PPR?

Não aplicar o seu dinheiro ou aplicá-lo num depósito a prazo, mesmo que escolha o melhor do mercado, não é uma boa opção. Ou seja, o dinheiro parado não cresce, e mesmo que faça poupanças de longo prazo com depósitos a prazo não é uma escolha acertada, o rendimento vai ficar muito aquém daquilo que se poderia obter, pensando num universo temporal mais alargado.

Há PPR em forma de seguros, outros em forma de fundos de investimento ou mesmo de pensões. Por forma a assegurar um futuro mais tranquilo, monetariamente falando, o ideal será subscrever um produto adequado ao seu perfil de risco. Por essa razão, recomenda-se uma análise minuciosa às condições do produto e às comissões associadas.

Quando subscreve um PPR, está a entregar um determinado valor a uma sociedade gestora de fundos de pensões ou a uma seguradora que, por sua vez, irão investir esse dinheiro para que gere retorno.

Os PPR podem ter a forma de fundo ou de seguro, sendo o seguro a mais comum. A grande diferença entre os dois é o risco, sendo estes últimos produtos mais seguros para quem os subscreve.

Os fundos PPR são como um fundo de investimento mobiliário no qual o aforrador detém uma unidade de participação que varia de acordo com o montante investido, mas não tem capital garantido. Assim, quem subscreve um fundo PPR corre o risco de perder o capital investido.

Já os seguros PPR têm um capital garantido, não comportando assim o risco de perda do dinheiro investido, exceto em casos extremos. Nos seguros PPR, a seguradora aplica o capital do aforrador num fundo autónomo, que tem um rendimento mínimo e capital garantido.

Vantagens de subscrever um PPR

Percebe-se facilmente que o principal benefício em subscrever um PPR é a rentabilização das poupanças, que podem vir a funcionar como um importante e seguro fundo de emergência até mesmo ainda antes do período da reforma. Isto porque em períodos de emergência como seja de desemprego ou doença súbita, os valores do PPR podem ser resgatados sem qualquer prejuízo.

Benefícios fiscais dos PPR

Além de serem uma forma de poupança para o futuro, os PPR também têm como vantagem principal a dedução no IRS. Consoante a idade do subscritor, as deduções podem ir até aos 400 euros por ano.

– Até aos 35 anos, pode deduzir até 400 euros, desde que aplique 2.000 euros no PPR, naquele ano;

– Entre os 35 e os 50 anos, pode deduzir, no máximo 350 euros, desde que aplique 1.750 euros;

– E a partir dos 50 anos, pode deduzir até 300 euros, desde que aplique 1.500 euros.

Encargos de um PPR

Normalmente, os PPR apresentam três tipos de comissões associadas: a de subscrição, gestão e depósito e, a de resgate. Todas elas variam de produto para produto. Saiba que existem planos que cobram 5 por cento de comissão de subscrição. Assim, recomendamos que escolha um produto com uma estrutura de encargos pouco pesada.

É possível pedir o resgate antecipado do PPR?

Quando resgatar o PPR, também terá direito a um benefício fiscal que vai variar consoante o resgate seja feito de uma só vez ou em rendas.

Quando quiser fazer o resgate do seu PPR, a taxa de imposto é reduzida, variando consoante o prazo de aplicação e de o resgate ser feito dentro ou fora dos limites da lei.

Assim, tenha presente as seguintes taxas:

-Até ao quinto ano de vigência do contrato, a taxa é de 21,5%
-Entre o quinto e o oitavo, 17,2%
-Após o oitavo ano, a taxa é de 8,6%

Saiba que o imposto só é retido aquando do resgate pelo que lhe é permitido a capitalização dos juros e ganhos até ao momento em que decide levantar o valor que aplicou.

Situações Especiais do Cliente ou de qualquer membro do seu agregado familiar:
-Desemprego de longa duração.
-Incapacidade permanente para o trabalho.
-Doença Grave do Participante.

Em jeito de resumo, recorde que existem três regras fundamentais para começar a preparar a sua reforma: começar a poupar o mais cedo possível, de forma a poder beneficiar do efeito de capitalização a longo prazo. Além disso, é essencial que faça entregas regulares e aplicar num produto de poupança, como um PPR que proporcione uma boa rentabilidade.