Hábitos das pessoas sem dívidas

Algumas atitudes podem ajuda-lo a evitar aquela despesa extra no final do mês. Saiba como administrar melhor as suas finanças e evitar acumular dívidas.

Algumas atitudes podem ajuda-lo a evitar aquela despesa extra no final do mês. Saiba como administrar melhor as suas finanças e evitar acumular dívidas.

Viver com dívidas tornou-se um hábito na nossa sociedade. Existem pessoas que pedem empréstimo para tudo, desde a troca do aspirador até as férias e outros que limitam os pedidos de empréstimo só as grandes compras, como seja compra de carro ou de casa, que de outra forma levariam anos a juntar esse dinheiro.

Há pessoas, que não são muito diferentes da maioria, só que simplesmente adquiriram uma série de hábitos saudáveis ​​e uma abordagem diferente em relação ao dinheiro. Estes são os hábitos das pessoas sem dívidas:

Conhecer o valor do dinheiro
Este é talvez o mais importante. Sabem quanto custa ganhar um euro e nunca se esquecem dos esforços que fizeram para o conseguir. Cada vez que você se endivida, está a pagar um custo extra pelo seu dinheiro. Quando pede um empréstimo para ir de férias, está a diminui o seu dinheiro simplesmente por não querer esperar até ter todo o dinheiro, para obter um beneficio imediato.

Conhecer a situação financeira e prestar atenção aos detalhes
Endividar-se pode ser uma decisão voluntária ou o reflexo de um desequilíbrio nas finanças pessoais, ou seja, as despesas constantemente excedem as receitas.
As pessoas sem dívidas prestam mais atenção aos detalhes, têm consciência das suas receitas e despesas e, sobretudo, que estas não ultrapassem as primeiras. Esse controle faz com que não paguem comissões extras, que não tenham a conta a descoberto e que cortem os seus prejuízos com a redução das despesas com serviços que não utilizam, como o ginásio ou outras.

Não gastar todo o salário
Pessoas sem dívidas não gastam todo o seu salário até ao ultimo centimo. Elas vivem com menos do que ganham e geralmente até economizam. Existem diferentes fórmulas para se conseguir isso, desde fingir ganhar menos dinheiro ou até ter um orçamento muito apertado e força de vontade suficiente para não o ultrapassar. No entanto, o método mais eficaz é pré-economizar ou pagar a si mesmo primeiro.

Pensar a longo prazo e ser paciente
O ser humano geralmente pensa no curto prazo e tende a procurar o prazer imediata, isso significa que nem sempre toma as melhores decisões. Com certeza que já comprou um par de sapatos, um relógio, ou uma TV por impulso, ou até foi jantar aquele restaurante onde ja foram todos os seus amigos … mas depois teve de pagar as consequências disso, porque teve de reduzir nas outras despesas que eram importantes para si.
Quem não se endivida consegue ter paciência e não vai logo comprar algo que não está no seu orçamento inicial ou para o qual não poupou e assim pode pagar sem financiamento. Desta forma, também ganha tempo para poder avaliar se realmente precisa ou não desses sapatos e de que forma eles se enquadram no seu plano de longo prazo.

Ter sempre um objetivo
Economizar pode ser muito difícil. Pessoas que poupam compartilham um hábito com milionários: eles têm objetivos claros, geralmente de longo prazo com pequenas metas de curto prazo.
Esse objetivo é o que permite que se mantenham motivados e tornem a caminhada mais suportável. Afinal, é o mesmo que fazer o planeamento das férias, mas com metas que vão para além de alguns meses de vida útil. Esse objetivo vai foca-lo e fazer com que seja mais fácil não cair na tentação de consumir apenas pela aparencia e status.

Saber dizer não
Vivemos numa sociedade consumista. Todos os dias somos expostos a centenas de mensagens e estímulos para comprar tudo. O último videogame, o casaco em liquidação de que não precisa, um jantar com os amigos, drinks depois do trabalho, a estreia do último filme … A lista é quase infinita.
Não se trata de recusar todos os planos que lhe são propostos e de viver como um monge enclausurado, mas de não se deixar levar. Se o restaurante que seus amigos escolheram for muito caro, sugira outra alternativa ou recuse o convite.
Ter um objetivo, uma meta, é o que ajuda quem não está endividado a dizer não e a não sentir remorso por isso.

Hábitos interiorizados que ajudam a salvar
Um hábito é algo que fazemos quase sistematicamente e sem perceber. Mudar ou adquirir um novo hábito não é fácil. Um estudo recente da University College London mostrou que podemos precisar de 66 dias para criar um hábito que pode ser mantido durante anos. As pessoas que não se endividam aprenderam comportamentos e diretrizes que as ajudam a não se endividar com alegria.

Viver sem gastar
As pessoas que não se endividam são capazes de viver sem gastar – elas valorizam mais as experiências do que as coisas.
Afinal, a melhor forma de não se endividar é não gastar e para isso o melhor é baixar as suas expectativas em termos do consumo. Por outras palavras, aprenda a ter uma vida minimalista onde precisa de menos coisas materiais.

FONTEFalando de finanças
Artigo anteriorJá tem os códigos dos Censos 2021? Pode responder a partir de hoje
Próximo artigoLiberdade Financeira. O que é e como conseguir?